Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts
Devo mesmo fazer um curso de perícia ambiental?

A legislação brasileira está cada vez mais preocupada com os impactos ambientais causados pela sociedade. Atualizações recentes em leis que antes eram consideradas evasivas e incompletas, hoje são modificadas para tornar o país um exemplo em preocupação ambiental. Ótimos exemplos que comprovam isso são a Política Nacional do Meio Ambiente, a Lei dos Crimes Ambientais e o Novo Código Florestal Brasileiro.

Um grande avanço da legislação foi a criação da Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998, conhecida como Lei de Crimes Ambientais, que uniformizou as penas consequentes às degradações, centralizou aspectos judiciais e diminuiu a tolerância a infrações relacionadas a natureza. Ela criminaliza, ainda, os casos com mais especificação, como aqueles em que houve conduta errada no tratamento às normas, como empreendimentos que atuam sem licença ambiental, empresas que promovem desmatamento sem autorização e pessoas que degradam o meio ambiente.  

Desse modo, é visível a necessidade de profissionais especializados em perícia ambiental, por serem os responsáveis por buscar e comprovar ações prejudiciais ao meio ambiente, distinguir esses impactos e calcular a quantidade dos danos. O perito judicial ambiental atua, então, na apuração e no cálculo de danos ao solo, lençóis freáticos, saúde, fauna, flora e todas às dimensões ambientais, de modo a certificar condições de desenvolvimento humano em parceria com a preservação do meio.

O perito ambiental é, portanto, agente peça-chave no cumprimento de leis que protegem e preservam a natureza. Essa importância é bem valorizada financeiramente no mercado de trabalho e o perito tem uma profissão relativamente tranquila, por ser bastante objetiva ao atuar seguindo as exigências legais de modo direto.

Como ser um perito ambiental de sucesso

A pesar de ser um trabalho com muitas vantagens, um perito ambiental não precisa ter uma graduação específica, apenas qualificação superior voltada à área ambiental, como um engenheiro ambiental, biólogo, advogado, geólogo, entre outros. Mas ter essa concepção realmente vai te preparar para uma atuação de sucesso no mundo judicial/ambiental? Apenas conhecer leis e ter consciência de um ensino tão vasto da faculdade não parece o suficiente, certo?

É por esse motivo que a participação em cursos de especialização é o diferencial entre o profissional mediano e aquele que se destaca e realiza um trabalho completo. Eles auxiliam na sua preparação e indicam as metodologias e leituras para a execução do trabalho.

Um curso de perícia ambiental auxilia na análise da burocracia forense de forma mais minuciosa, para facilitar o andamento dos processos, a entender a necessidade de assistentes técnicos e como conciliar as tarefas direcionadas a eles com as do perito ambiental e como é a rotina do profissional. Esse curso apresentará temas completos voltados ao assunto, como a atuação no âmbito judicial e elaboração de laudos.

Além disso, a facilidade de compreender os quesitos apresentados no curso facilita muito o entendimento do trabalho. A linguagem mais simples e direta, além do contato mais fácil com o professor, ensina as competências melhor que aquilo passado durante a formação na graduação e qualifica você como um ótimo perito judicial ambiental.

Por isso, a formação em um curso de perícia ambiental te transforma não apenas em um profissional, mas te torna um perito com qualificações para ser bem-sucedido e que pode alcançar muito reconhecimento na área.  

 

Leia também:

Quero trabalhar com Meio Ambiente, e agora?

Conheça as principais leis ambientais do Brasil

Governo apresenta o mapa da fiscalização ambiental em Minas Gerais

Empregabilidade no setor ambiental. Quais são as oportunidades?

 

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto G4

by nerit